Katiúscia Gomes, psicóloga voluntária do CPIP

O CPIP me proporcionou uma experiência de reflexão sobre acreditar que existem pessoas que lutam pela saúde mental. Percebe-se em nossa sociedade que não há tanto espaço para o portador de transtornos mentais graves, e o CPIP proporciona esse novo espaço, que une a estimulação do aluno em todos os âmbitos, como o motor, o cognitivo, e o emocional; e o momento de socialização, que muitas vezes é nulo na rotina desses indivíduos. Eu aprendo semanalmente com eles, pois imagino que não deve ser fácil manter o sorriso no rosto e sair da sua zona de conforto para encarar o mundo – eles nos ensinam sobre resiliência.