Vivendo e Reaprendendo

É uma ação do CPIP que oferece um espaço de convivência com suporte técnico adequado e atividades laborativas, tendo como objetivo a ressocialização dos usuários.

O Projeto Vivendo e Reaprendendo desenvolve diariamente grupos de convivência, atividades de estimulação cognitiva, oficinas de artes, colagem e mosaico, além de passeios que impulsionam a ressocialização.

Participe do Vivendo e Reaprendendo

Atividades Projeto Vivendo e Reaprendendo
2018/1
Segunda Terça Quarta Quinta
Roda Livre Oficina de Colagem Mindfulness básico Grupo de Conversa
Estimulação Cognitiva Oficina de Artes

OFICINA DE ARTES E COLAGEM

Sabe-se da importância de criar ações na área que integra a rede de atenção à saúde mental, possibilitando a inclusão social, o resgate da autonomia e da autoestima dos usuários envolvidos, que proporcione melhoras na sua qualidade de vida. Pois, os transtornos mentais graves acarretam comprometimento de funções sociais, cognitivas e afetivas, atingindo graus diferenciados em cada caso.

A criação das oficinas propicia a valorização do trabalho, por intermédio da interação social e ressocialização, ao envolvê-los oportuniza a criação de novas maneiras de “fazer arte” dentro de suas limitações, com experiências que proporcionam bem-estar, e podem desacomodar daquilo que já conhecem como fatores limitantes.

Ao aprender as técnicas de produção dos trabalhos manuais, os alunos se dão conta que apesar da condição psiquiátrica, eles podem ser produtivos, isso eleva sua autoestima. Tal processo acaba incentivando a produção e a venda dos produtos,  podendo até incluir essas pessoas no mercado de trabalho.

Objetivo:

  •         Desenvolvimento de habilidades manuais, atenção e psicomotricidade fina;
  •         Desenvolver e aprimorar as capacidades dos alunos;
  •         Criar e promover desafios a serem encarados no modo de arte;
  •         Confeccionar objetos a serem comercializados para fins de manutenção dos materiais e entidade,
  •         Possibilitar que aprendam a técnica e utilizem como geração de renda individual;

RODA LIVRE

Objetivo: Criar espaço de encontro, escuta e de troca entre os participantes, por meio de diálogos e produção de atividades a partir de temas pré-selecionados.

O espaço da roda de conversa possibilita movimento contínuo de percepção, reflexão e ação do sujeito, criando possibilidades de diálogos que possam oportunizar a produção de atividades que deem novos   sentidos as experiências individuais e coletivas. Colocando o sujeito como objeto de mudança no meio em que vive, construindo novas possibilidades de estratégias coletivas de mudança.

ESTIMULAÇÃO COGNITIVA

Objetivo: Estimular as funções executivas dos pacientes e facilitar a generalização dessas capacidades para o dia a dia desses pacientes.

Sabe-se que a estruturas neurocognitivas fazem parte do entendimento da maioria dos transtornos mentais, principalmente os transtornos mentais graves. Entre os transtornos mentais graves, todos apresentam como similaridade déficits nas funções executivas, entre elas: atenção, organização, planejamento, tomada de decisão, memória de trabalho e flexibilidade cognitiva. Como uma forma de abordagem na reabilitação desses pacientes, torna-se interessante uma oficina que estimule o melhor funcionamento dessas capacidades cognitivas.

GRUPO DE CONVERSA

Objetivos: Estimular a construção da autonomia dos sujeitos por meio da problematização, da troca de informações, experiências e da reflexão sobre assuntos do dia a dia.

 A partir da necessidade de espaços de diálogo para se expressarem, que o grupo de conversa possa auxiliar a lidarem de maneira efetiva com espaços coletivos, aprendendo a dialogar com pessoas diferentes do contexto familiar. Não é um grupo terapêutico, mas pode desencadear aspectos terapêuticos.

MINDFULNESS

São muitos os comprometimentos corporais provenientes dos transtornos mentais, em decorrência da própria doença ou pela ação prolongada de medicamentos, que num espaço de curto ou longo prazo, interferem significativamente na realização de atividades cotidianas e nas relações interpessoais do sujeito. As práticas que envolvem atividades que envolvem a expressão corporal podem proporcionar melhoras significativas na autoestima, imagem corporal, força muscular, desempenho cardiovascular, que quando afetados acabam desencadeando sintomas emocionais diversos, que podem acompanhar crises mais graves.

Objetivos:

  •         Promover benefícios físicos a fim de melhorar a funcionalidade motora e minimizar o comprometimento corporal;
  •         Trabalhar percepções auditiva, motora, visual e cognitiva, a partir da consciência e expressão corporal;
  •         Desenvolver disciplina em todas as atividades levando em conta as possibilidades de cada um;
  •         Estimular o contato corporal e a interação entre os participantes, baseadas no respeito e compreensão das suas limitações;
  •         Promover relaxamento ao estimular o máximo de cada um respeitando seu ritmo individual;

Participe do Vivendo e Reaprendendo